INÍCIO CONTATO EDITAIS AGENDA COMUNICAÇÃO NOTÍCIAS FOTOS INDIQUE WEBMAIL EXTRANET SOBRE
A ATUAÇÃO DO IDESC NO VALE DO RIBEIRA
  • No primeiro semestre de 2012, o Instituto para o Desenvolvimento Sustentável e Cidadania do Vale do Ribeira - IDESC – completou 11 anos de atuação na região. Fundada em 15 de março 2001 por um grupo de profissionais liberais, ambientalistas e lideranças dos movimentos sindical e social, a organização não governamental desenvolveu, ao longo deste período, diversos projetos e ações tendo em vista o cumprimento da sua missão de promover a melhoria da qualidade de vida da população do Vale do Ribeira e o desenvolvimento sustentável, numa região guardiã dos principais remanescentes de Mata Atlântica do Brasil e acolhedora de uma valiosa diversidade étnica, cultural e socioambiental.

    A expressiva participação de ambientalistas em sua formação causou uma forte atuação inicial da entidade na área ambiental. Nos primeiros anos de atividade, os associados promoveram palestras, encontros e seminários relativos à questão ambiental. Também apoiaram a organização dos pequenos agricultores e elaboraram uma cartilha – até hoje tida como referência na área – sobre Legislação Ambiental para Agricultores, onde é feita uma síntese sobre os principais temas que envolvem a agricultura e a legislação ambiental.

    A partir de 2003, o IDESC amplia sua área de ação e participa de todo o processo de formação do Consórcio de Segurança Alimentar e Desenvolvimento Local (CONSAD), um dos principais fóruns de debate e articulação de programas e projetos do Vale do Ribeira. A instituição participou do Encontro Nacional para discussão da implantação do Programa CONSAD, realizado em agosto de 2003 em Brasília, e teve representação no I, II e III Encontro Nacional dos CONSADs. O IDESC foi responsável pela articulação e mobilização das reuniões e oficinas regionais para a organização do Fórum de Desenvolvimento Territorial do Vale do Ribeira em 2003 e 2004. Como principal resultado desta ação articulada destaca-se a criação do CONSAD-VR - Consórcio de Segurança Alimentar e Desenvolvimento Local do Vale do Ribeira, fundado em abril de 2004. 

    O IDESC apoiou e foi um dos organizadores do Seminário de Desenvolvimento Sustentável e Biodiversidade da Mata Atlântica em Registro, em 23 de agosto de 2003, que contou com 300 participantes e discutiu diversos temas ligados à agricultura familiar, ao manejo florestal, ecoturismo e pesca. Nos dias 29 e 30 outubro de 2003, o IDESC foi um dos organizadores da Oficina do Desenvolvimento Territorial do Ministério de Desenvolvimento Agrário que definiu as prioridades de investimentos para fortalecimento da agricultura familiar no Vale do Ribeira e que reuniu 40 organizações entre associações, sindicatos, cooperativas, ONGs e Prefeituras Municipais.

    Mas, foi no final de 2004 que o IDESC assumiu o seu maior compromisso institucional com a região: a execução do Projeto “Vale do Ribeira Sustentável – AGENDA 21” (PVRS), financiado pelo Fundo Nacional do Meio Ambiente/Ministério do Meio Ambiente. É importante lembrar que, na época, o IDESC foi escolhido como entidade executora numa assembleia geral do CONSAD, onde 32 instituições tornaram-se parceiras do projeto. Com base nos princípios da Agenda 21, o projeto desencadeou um processo participativo de construção do Plano de Desenvolvimento Territorial Sustentável, em 32 municípios do Vale do Ribeira localizados entre os estados de São Paulo e Paraná, envolvendo a sociedade civil e o poder público de cada localidade.

    O IDESC e as entidades parceiras conquistaram, ao longo da execução do Projeto, resultados significativos como a articulação e o fortalecimento do capital social do Território, através do apoio a fóruns como o CONSAD e o Fórum de Desenvolvimento Territorial, na porção do Vale do Ribeira – Paraná; a ampliação das parcerias para a realização das ações, contando com 60 entidades participantes; a promoção de um processo de mobilização e capacitação em todas as microrregiões do Território, envolvendo mais de 150 entidades da sociedade civil e do poder público em oficinas de nivelamento conceitual, seminários, oficinas de capacitação em elaboração de projetos e reuniões de acompanhamento técnico às entidades.

    No âmbito do PVRS, a discussão do Plano de Desenvolvimento Territorial Sustentável foi o resultado destacado como referência nacional no aspecto de articulação e de mobilização territorial. Comunidades quilombolas, indígenas, caiçaras, ribeirinhos, jovens, mulheres, empresários, representantes de sindicatos, associações, clubes de serviço, entidades ambientalistas, entidades sociais, enfim, os mais diferentes setores da sociedade civil bem como representantes de prefeituras, câmaras, secretarias de estados e do governo federal, reuniram-se num processo participativo - como preconiza a AGENDA 21 – para discutir sobre os desafios, os consensos e os conflitos do Território. Nas 04 conferências microrregionais e na grande Conferência Regional - esta última realizada em agosto de 2006, em Registro - participaram mais de 900 pessoas, entre delegados e convidados, que debateram as diretrizes e as metas e definiram os projetos e os programas de ação prioritários do Território. O documento produzido na conferência serve como base para a articulação de novos projetos e programas para o Território.

    Ainda no âmbito do Projeto Vale do Ribeira Sustentável, o IDESC realizou a I Jornada Ambiental do Vale do Ribeira na primeira semana de junho, com diversas reuniões e atividades, com destaque para a caminhada, passeio pelo Rio Ribeira e o plantio de mudas de plantas nativas, integrando a agenda do Projeto Vale do Ribeira Sustentável. Dentro da programação da Jornada, foi promovido também o Seminário sobre Biodiesel em Jacupiranga com ampla participação e conteúdo técnico. Também foram realizadas 12 Oficinas de Capacitação em elaboração de Projetos com 150 participantes representantes de instituições locais, sendo uma das oficinas em parceria com o PDA do Ministério de Meio Ambiente. Foram realizadas ainda as oficinas de mobilização e sensibilização social e Seminários relacionados a políticas públicas, programas de reciclagem e resíduos sólidos, biodiesel, impactos socioambientais da monocultura do Pinus e do Eucalipto no Vale do Ribeira e sobre a criação de um centro de referência de apoio à pesquisa científica do Vale do Ribeira.

     Também como parte do Projeto Vale do Ribeira Sustentável, foi realizado o levantamento das demandas de projetos de base comunitária (que identificou cerca de 300 iniciativas em toda a região). Nesta linha de ação é que foram pactuados e lançados os dois editais para a seleção de pequenos projetos socioambientais com o valor máximo financiado de R$ 10.000,00 por projeto e que beneficiaram 23 pequenos projetos em 32 municípios que integravam o Projeto Vale do Ribeira Sustentável.

    Este foi o principal diferencial do Projeto “Vale do Ribeira Sustentável-AGENDA 21”: o financiamento de pequenos projetos socioambientais, ou seja, outras organizações não governamentais, sediadas e com atuação no Vale do Ribeira (SP e PR), receberam apoio para executar pequenos projetos na área socioambiental. As entidades tiveram a oportunidade de apresentar suas propostas através de dois editais, lançados pelo IDESC. No primeiro, em 2006, foram selecionados 15 projetos. No segundo edital, em 2007, mais 08 propostas foram escolhidas num processo que contou com a participação de representantes das entidades parceiras, do CONSAD e do Fórum de Desenvolvimento Territorial do Vale do Ribeira-Paraná, desde a elaboração dos editais para a seleção das propostas, até a formação da Comissão de Avaliação dos Projetos, composta por representantes dos fóruns citados, do IDESC e consultores especializados.

    Portanto, em diferentes locais do Vale do Ribeira, houve um pequeno projeto socioambiental que foi apoiado com recursos repassados pelo IDESC e outras parcerias conquistadas pelas entidades proponentes. Entre os projetos, destacam-se: apoio à implantação da feira de produtos orgânicos em Registro; fortalecimento da cadeia produtiva do mel em toda a região; capacitação e orientação sobre legislação e direitos dos pescadores artesanais em Iguape; implantação do sistema de fossas sépticas biodigestoras em Cajati e Apiaí; apresentação de espetáculos de teatro de bonecos para sensibilização sobre o problema do lixo urbano em municípios do Vale do Ribeira-Paraná; construção de viveiros agroflorestais e fortalecimento da feira do agricultor familiar em Cananéia; apoio à reorganização dos artesãos de Iguape e à criação de uma Rede de Entidades no município; repovoamento do palmito juçara em comunidade quilombola de Eldorado; manejo de quintais do palmiteiro juçara em comunidade rural de Sete Barras; multiplicação dos conceitos da Agenda 21 em Barra do Turvo; construção da Agenda 21 local em Cananéia, através da Educomunicação; fortalecimento dos sistemas agroflorestais em Barra do Turvo; e apoio a atividades de educação ambiental em Iporanga. As entidades executoras receberam recursos para custeio e também para aquisição de equipamentos e materiais necessários ao desenvolvimento das atividades previstas.

    Outros projetos marcam a história desta década de atuação do IDESC na região

    - De 2006 a 2008, a Incubadora Tecnológica de Cooperativas Populares (ITCP) da UNICAMP desenvolveu com o IDESC o Projeto “Incubação de Incubadora de Cooperativas Populares”, para construção de uma metodologia própria de incubação de grupos e empreendimentos populares solidários e autogestionários, a partir da realidade do Vale do Ribeira e sob os princípios da Economia Solidária. Foram realizados 22 encontros de formação, além de oficinas e reuniões entre os monitores da ITCP/UNICAMP, associados do IDESC e lideranças convidadas de outras entidades da região. Um dos resultados dessa parceria foi a execução da primeira etapa do Projeto de Incubação de empreendimentos solidários na área de turismo sustentável, aprovado pela ITCP/UNICAMP junto ao Ministério do Turismo.

    - Como resultado do Seminário de Biodiversidade e Desenvolvimento Sustentável da Mata Atlântica, realizado em agosto de 2003, o IDESC teve a oportunidade de apresentar a primeira proposta para a criação do Polo de Biotecnologia da Mata Atlântica do Vale do Ribeira, que foi encaminhado e aprovado pelo Ministério do Meio Ambiente. O projeto foi implementado pela UNESP, através da FUNEP – Fundação de Apoio à Pesquisa da UNESP de Jaboticabal e com a participação de 12 instituições de pesquisa no Conselho de Gestão do Projeto. O IDESC desempenhou atividades relacionadas à Secretaria Executiva do Projeto, no período de novembro de 2006 a novembro de 2007.

    - Ainda em 2005 e, graças à participação dos associados, foi possível realizar atividades na área cultural com as apresentações do Projeto Cinevale em Movimento II, em Registro, em escolas dos bairros Serrote, Capinzal, Nosso Teto, Xangrilá, Arapongal e no Colégio Fábio Barreto, centro da cidade. No ano de 2004 o IDESC já havia executado o Projeto "Cinevale em Movimento", visando a realização de atividades culturais em diversos municípios do Vale do Ribeira, através de convênio com o Ministério da Cultura. O cinema itinerante foi levado a diversas comunidades do Vale do Ribeira, com apresentações do filme nacional "Os Narradores de Javé", de Eliane Caffé, nos municípios de Itaóca, Eldorado, Cananéia, Registro, Adrianópolis e Guaraqueçaba (Vale do Ribeira-Paraná). As apresentações foram realizadas em locais públicos, como praças e em localidades sem acesso ao cinema.

    - Outro projeto desenvolvido pelo IDESC, no período de 2007/2008, foi o de inclusão digital através de uma parceria com a CAIXA Econômica Federal e a Associação dos Mineradores do Vale do Ribeira (Amavales). A implantação do primeiro Telecentro no Arapongal também foi o resultado de uma parceria entre a SOCID – Sociedade Digital, organização dedicada à implantação de projetos de inclusão digital, o IDESC e a Comunidade Nossa Senhora Aparecida do Bairro Arapongal, em Registro.

    - Em 2007, o IDESC foi a instituição selecionada e contratada pela Associação que representa os indígenas da Terra Indígena de Ribeirão Silveira, localizada no bairro de Boracéia, entre os municípios de Bertioga e São Sebastião no Litoral Norte de São Paulo, para implantação de um plano para o manejo e a conservação do palmito juçara (Euterpe edulis). Este trabalho permitiu uma avaliação da situação da espécie na área da Aldeia, promoveu medidas de proteção e conservação, o treinamento e a capacitação de lideranças indígenas e o lançamento de cartilha e folder sobre o projeto. Entre os resultados do Projeto, destacam-se o inventário do estoque da palmeira Juçara na Terra Indígena Guarani do Ribeirão Silveira, o manejo sustentável e o repovoamento da espécie, a capacitação de monitores da comunidade e a elaboração da Cartilha "Manejo Sustentável do Palmito Juçara".

    - Em 2008, através de Convênio com a Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo foi aprovado o Projeto Rede de Integração pela Vida (RI-VIDA), com o objetivo de reduzir a vulnerabilidade dos adolescentes, jovens e mulheres, residentes no município de Registro às doenças sexualmente transmissíveis e às hepatites virais, através da arte-educação, numa perspectiva de cidadania ativa, contribuindo para a formação de uma nova consciência sobre as relações de gênero e etnia, estimulando o protagonismo juvenil e a participação comunitária. Além de atividades de sensibilização, formação e de geração de renda com grupos de jovens e adolescentes e mulheres de diversos bairros de Registro, o Projeto desenvolveu um mapeamento técnico de coleta de dados para a obtenção de informações sobre a vulnerabilidade e o fenômeno da prostituição no eixo da BR-116 nos municípios de Miracatu, Juquiá, Registro, Cajati, Jacupiranga e Barra do Turvo, visando compreender a dinâmica sociocultural e sua implicação no contexto das relações familiares, de maneira a contribuir para a transformação dessa dinâmica. Em 2010, o IDESC, a partir do projeto RI-VIDA, apoiou a formação de um Grupo de Dança (Balé) no Bairro Vila Nova (17 Meninas e Adolescentes). A iniciativa teve a parceria do CRAS Vila Nova, após a apresentação da proposta de inclusão de adolescentes num grupo de expressão corporal como forma de prevenção a exploração sexual. As oficinas aconteceram no Centro Comunitário do bairro e além das aulas houve discussões de temas como drogas, adolescência, relacionamento e autoestima. O projeto foi encerrado em dezembro de 2010 com um evento apresentando resultados dos dois anos de duração. O grupo de balé, com poucos meses de formação, iniciou a programação trazendo leveza e a mensagem de como a arte pode transformar vidas. O encerramento foi feito com o desfile de peças de vestuário e acessórios (bolsas, carteiras) confeccionadas pela Oficina de Costura Mãos e Coração, grupo formado a partir das atividades de geração e renda do projeto. Adolescentes do bairro Arapongal desfilaram roupas produzidas a partir de peças de uniforme doadas ao IDESC por uma empresa de transportadores de São Paulo. Dando continuidade às ações do projeto, o IDESC continuou apoiando o Grupo de Mulheres do Bairro Arapongal, por meio do trabalho de coordenação das atividades de costura.

    - Desde 2008 o IDESC é executor do Projeto Jovens ECOnscientes (atualmente chamado de Meninos Ecológicos), em parceria com o Instituto Elektro e o Parque Estadual Campina do Encantado/Fundação Florestal. O programa capacita jovens da região para propiciar a adoção de novas práticas que contribuam para o desenvolvimento sustentável, estimulando a busca do potencial protagonista do jovem e canalizando sua energia para ações que representem benefícios para o meio ambiente e para a sociedade. Assim, os jovens contribuem para disseminar conhecimentos sobre biodiversidade, sistemas ecológicos e seu potencial para práticas sustentáveis. Os jovens passam por intensiva capacitação com pesquisadores, educadores ambientais, especialistas e técnicos da área de educação e conservação ambiental. A formação aborda temas como Agenda 21, reciclagem (noção, benefícios, coleta seletiva, manejo de resíduos etc.), biodiversidade, poluição, desmatamento, extinção, queimadas e erosão, conservação de solo e dos recursos hídricos, implantação e manutenção de viveiros comunitários, e legislação ambiental.

    - Em 2009, em parceria com a Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), por meio da Incubadora Tecnológica de Cooperativas Populares (ITCP) e também como parceiros o Programa de Comunidades Quilombolas (PCQ) e o Núcleo de Economia Industrial e da Tecnologia (NEIT) da UNICAMP, o IDESC co-executou o Projeto Turismo e Economia Solidária no Vale do Ribeira. Durante a execução da primeira etapa do Projeto foi elaborado um diagnóstico com o objetivo de construir um panorama da cadeia produtiva do turismo na região sob a perspectiva da Economia Solidária, caracterizar a cadeia produtiva local do turismo, identificar empreendimentos solidários já existentes e com atividades relacionadas à cadeia produtiva do turismo e identificar oportunidades de mercado para os empreendimentos solidários.

    - Em 2009, o IDESC foi selecionado para coordenar a elaboração do Plano Diretor de Educação Ambiental do Comitê da Bacia do Ribeira de Iguape e Litoral Sul, em um processo que contou com a participação de diferentes atores sociais do Território que atuam com o tema da Educação Ambiental. De forma participativa, o projeto possibilitou a proposição de diversas ações prioritárias em Educação Ambiental na região, bem como as diretrizes que devem embasar a execução destas ações no Território. As atividades foram executadas por meio de Projeto financiado pelo Fundo Estadual dos Recursos Hídricos (FEHIDRO) e em parceria com o Comitê da Bacia. O projeto reuniu e sistematizou as experiências de Educação Ambiental realizadas na região, através de um processo participativo como a realização de várias reuniões, encontros microrregionais e um seminário regional, além da formação de um Conselho Gestor do projeto, considerado o embrião da formação da Câmara Técnica de Educação Ambiental do Comitê da Bacia do Ribeira de Iguape. Foi elaborada a proposta do Plano Regional de Educação Ambiental do CBH-RB, apresentada e referendada em assembleia geral do fórum, e que está sendo utilizada para balizar as ações de educação ambiental na área de abrangência do CBH-RB. Este projeto possibilitou ao IDESC se aprofundar na discussão e na execução de projetos de Educação Ambiental na região, aproximando a entidade de outras organizações e grupos sociais que atuam com o tema no âmbito da Bacia Hidrográfica. O projeto foi finalizado em dezembro de 2011, mas o IDESC continua participando das discussões sobre o tema na Câmara Técnica de EA do CBH-RB, na qual é membro efetivo.

    - Em 2009 também foi aprovado o Projeto Articulação Institucional SP/PR para gerenciamento de recursos hídricos do Comitê de Bacia Hidrográfica do Ribeira de Iguape e Litoral Sul, financiado pelo Fundo Estadual dos Recursos Hídricos (FEHIDRO), que tem como objetivo promover a atuação conjunta dos Comitês (SP e PR) com a finalidade de estabelecer relações institucionais para o gerenciamento dos recursos hídricos da Bacia do Rio Ribeira de Iguape. Em fase final de execução, o projeto promoveu levantamento de dados dos dois Comitês e encontros para sistematização das informações e integração da atuação dos fóruns.

    - Em 2010, visando propor uma discussão integrada e promover a Rede de Proteção Social e Defesa dos Direitos da Infância e Juventude, o IDESC e o Grupo Ecológico Guaraú (GREG), com o apoio financeiro da Coordenadoria de Controle de Doenças da Secretaria de Estado da Saúde (CRT DST/AIDS), se vincularam para realizar um evento regional que contemplasse a abordagem da Rede de Proteção social da região. O Seminário Regional de Promoção e Defesa dos Direitos da Infância e Juventude no contexto das vulnerabilidades às DST/HIV/AIDS do Vale do Ribeira realizou-se nos dias 28 e 29 de Janeiro de 2010, em Registro, reunindo os mais variados segmentos interessados na temática apresentada. Nesse evento houve o lançamento do livro: “Promovendo os direitos de Mulheres, Crianças e Jovens de Comunidades Anfitriãs de Turismo do Vale do Ribeira”, elaborado numa parceria da ING-ONG, NEPAIDS e Centro Paula Souza (ETEC) de Iguape a partir de projeto que começou no ano de 2008 e que contou com financiamento do Ministério do Turismo.

    - Em 2010, foi realizado o documentário “O Terço Cantado e os encantos do Mandira” que conta a história do Quilombo, mostra o cotidiano dos moradores, a vida comunitária, a religiosidade e a luta dos moradores da comunidade do Mandira, localizada no município de Cananéia. O Terço Cantado invoca a alma para descobrir a beleza e o tesouro escondidos na convivência harmoniosa entre os Mandiranos e a Mata Atlântica. O projeto foi realizado com o apoio do governo do Estado de São Paulo e da Secretaria de Estado da Cultura, através do Programa de Ação Cultural de 2010. Contou com a parceria do IDESC, Instituto Chico Mendes para Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e da Associação de Remanescentes de Quilombos da Reserva Extrativista do Mandira.

    - No primeiro semestre de 2012, o IDESC iniciou a execução do Projeto “Formando Florestas - Recuperação Florestal Participativa em Unidades de Conservação do Mosaico do Jacupiranga”, aprovado em 2011 na seleção pública lançada pelo Fundo Brasileiro para a Biodiversidade (FUNBIO). Com duração prevista de dois anos, o projeto irá realizar oficinas participativas com comunidades tradicionais do Mosaico de Unidades de Conservação do Jacupiranga, em um processo que busca envolver também os jovens das comunidades, além de fomentar a recuperação de áreas degradadas com a implantação de sistemas agroflorestais (SAFs). Serão realizados inventários florestais participativos e técnicas de recuperação e manejo agroflorestal. O projeto pretende desenvolver ações voltadas para a valorização da Mata Atlântica e de seus moradores, através do fortalecimento das atividades agroflorestais e manejo não madeireiro comunitário de espécies florestais, como a araucária, a erva mate, o palmito juçara, além de outras espécies de uso medicinal e ornamental. As linhas principais de atuação são: a implantação de 25 ha de áreas demonstrativas de manejo e recuperação agroflorestal, de forma combinada com a capacitação; e o fortalecimento de seis viveiros comunitários. Por meio de cursos e oficinas será promovida a capacitação da população local para discutir formas possíveis de implantar uma cadeia de produtos da sociobiodiversidade da Mata Atlântica.

    - Nesta mesma linha temática, o IDESC executa projetos de restauração florestal, com plantio e manutenção de mudas de espécies nativas da Mata Atlântica em áreas de recuperação ambiental, em parceria com outras instituições.

    - O IDESC participa como parceiro no contexto do Projeto “Apoio aos Componentes de Gestão e Restauração Florestal do Pacto pela Restauração da Mata Atlântica”, dentro do “Projeto Modelo Restauração Participativa no MOJAC”, responsável pelo plantio e monitoramento de seis hectares num total de nove mil mudas de restauração desde o ano de 2010. Esse projeto conta com a participação de 25 agricultores residentes no Mosaico de Unidades de Conservação e é desenvolvido pelo Instituto Amigos da Reserva da Biosfera da Mata Atlântica.

    - Dando continuidade ao fortalecimento do trabalho fomentado pelo Projeto RI-VIDA foi iniciado, em julho de 2012, o Projeto “Mãos e Coração-Sustentabilidade Econômica e Social através da Costura”, que conta com recursos do Fundo Caixa Socioambiental – Programa Caixa Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM) e tem como objetivo promover a autonomia econômica de mulheres, incentivando a organização produtiva, do comércio justo e solidário e do consumo responsável. Aprovado em 2011, por meio de uma seleção pública, o projeto terá a duração de 24 meses e tem como foco as atividades específicas de formação para o ofício da costura e para a gestão coletiva de empreendimento solidário. Prevê quatro etapas de formação: confecção de bonecos artesanais, curso de corte e costura, gestão coletiva e associação produtiva, além da busca de canais de comercialização para os produtos confeccionados em grupo.

    - Em 2012 também foi iniciado o Projeto Puxirão Virtual - Rede Colaborativa do Vale do Ribeira – que faz parte do PROAC do Ministério da Cultura em parceria com a Secretaria de Estado da Cultura. O principal objetivo é criar cooperativamente uma plataforma web multiusuários para produção, comunicação e gestão colaborativa de conteúdos midiáticos relacionados às comunidades tradicionais e/ou características culturais da região do Vale do Ribeira. Para tanto, será oferecido um curso de formação técnica em arte digital fundamentada no uso de softwares livres e na prática de criação e/ou produção de mídias livres visando dar continuidade e ampliar o processo educacional de aprendizagem (e troca) de linguagens digitais livres com ênfase na formação (individual e coletiva) direcionada a adolescentes, jovens e adultos, de ambos os sexos, residentes nas cidades da região do Vale do Ribeira que contam com Pontos de Cultura. A ideia é oferecer um espaço gratuito e democrático de hospedagem e construção de sites a todos os parceiros e demais interessados, sejam eles Pontos de Cultura, Escolas, Associações da Sociedade Civil que atuem nas áreas da cultura, da cidadania e do meio ambiente ou, ainda, artistas, pesquisadores e comunicadores que desejem um espaço para a difusão dos seus trabalhos.

    Novos projetos já selecionados para execução

    Projeto “A Arte de Preservar” - Comemoração da Semana da Água e Semana do Meio Ambiente – Vale do Ribeira

    Aprovado em 2011 pelo Comitê da Bacia do Ribeira de Iguape (CBH-RB) para financiamento pelo FEHIDRO, o projeto tem como objetivo promover a sensibilização sobre a conservação e o uso da água e do meio ambiente, despertando o interesse e a valorização das potencialidades da Bacia do Ribeira de Iguape e Litoral Sul para a construção da sustentabilidade. As apresentações culturais e teatrais serão utilizadas como ferramenta para promoção da sensibilização sobre a água e o meio ambiente, uma vez que são atividades que atuam de forma lúdica e motivam a participação da população no ato educativo. As apresentações culturais serão realizadas em Registro, Cajati e Cananéia. Por sua vez, as apresentações teatrais serão realizadas em Miracatu, Ilha Comprida, Iporanga, Sete Barras e Eldorado. Os municípios das apresentações culturais e teatrais foram definidos de acordo com interesse manifestado pelas prefeituras, pelos apoios existentes (local, recepção dos participantes, divulgação, etc.) e por sua distribuição geográfica. Será realizada anteriormente aos eventos uma reunião de articulação em conjunto com o IDESC, CBH-RB, Prefeituras e parceiros, de forma a realizar as apresentações de forma participativa, envolvendo estes atores sociais na organização, divulgação e realização das mesmas. Aguarda liberação dos recursos. As atividades estão previstas para 2013.

    Projeto Escola no Parque-Escola no Rio

    Aprovado no primeiro semestre de 2012 pelo Comitê da Bacia do Ribeira de Iguape (CBH-RB) para financiamento pelo FEHIDRO, o projeto tem como objetivo possibilitar aos alunos do ensino fundamental da rede pública municipal e estadual do município de Registro a visitação monitorada e organizada ao Parque Estadual do Rio Turvo, Núcleo Capelinha, localizado no município de Cajati, e às margens do Rio Ribeira de Iguape, no município de Registro, implementando um Programa de Educação Ambiental e estudo do meio, com duração de 2 anos, que contribua para o exercício da cidadania, com a valorização do patrimônio histórico-natural e cultural da região e a compreensão da importância da preservação do meio ambiente e dos recursos hídricos. Entre as atividades, destacam-se a promoção um curso preparatório aos professores e coordenadores de ensino responsáveis pelo projeto nas escolas participantes; a elaboração de uma cartilha de estudo do meio para complementar as atividades em sala de aula e subsidiar as visitas ao Parque Estadual do Rio Turvo e às margens do Rio Ribeira de Iguape; e a promoção de atividades de visitação técnica e monitorada ao Parque Estadual do Rio Turvo e às margens do Rio Ribeira de Iguape no município de Registro. O projeto envolverá professores e alunos do ensino fundamental da rede pública municipal e estadual do município de Registro. Está previsto um público mínimo de 40 alunos para cada uma das 40 atividades, abrangendo diretamente um total 1.630 participantes. Aguarda análise do Agente Técnico do FEHIDRO. 

    Projeto RI-VIDA – Rede de Integração pela Vida

    Com financiamento pela Secretaria de Estado da Saúde/CRT – Centro de Referência e Treinamento DST/AIDS, o projeto propõe reduzir a vulnerabilidade dos adolescentes, jovens e mulheres, residentes no município de Registro às doenças sexualmente transmissíveis e às hepatites virais, através da arte-educação, numa perspectiva de cidadania ativa, contribuindo para a formação de uma nova consciência sobre as relações de gênero e etnia, estimulando o protagonismo juvenil e a participação comunitária. Além de buscar novas metodologias que ampliem o protagonismo juvenil aumentem a autoestima e a participação no universo sociocultural da comunidade, a fim de reverter o quadro perverso de violência e exclusão que leva os adolescentes e jovens à beira da pista ou ao envolvimento com o tráfico de drogas. Com duração prevista de 24 meses, o projeto pretende atender adolescentes, jovens, mulheres, profissionais da Rede de Proteção Social e de Saúde do município de Registro. Aguarda liberação dos recursos.

    Projeto Seminário Regional de Políticas Públicas e Ações de Prevenção às DST/HIV/AIDS para a Infância e Juventude do Vale do Ribeira

    Com financiamento pela Secretaria de Estado da Saúde/CRT – Centro de Referência e Treinamento DST/AIDS, o projeto tem como objetivo – através de conferências, mesas redondas, oficinas, sessões coordenadas e grupos de trabalho - estimular e fortalecer as Políticas Públicas nas ações de prevenção às DST/AIDS, drogas e combate a exploração sexual nas redes de proteção social dos municípios; proporcionar um debate que subsidie a formulação de recomendações para a promoção da saúde e proteção dos direitos de crianças e adolescentes da região, bem como estimule a inserção de estratégias de redução de danos relacionadas ao uso de álcool e outras drogas nas comunidades; estimular ações programáticas visando a redução da vulnerabilidade da infância e juventude ao mercado do sexo e às situações de violência e tráfico para fins sexuais, contribuindo para a definição de estratégias viáveis de saúde, educação e proteção social nos municípios da região. Aguarda liberação dos recursos.

    Projeto “Estrada da Vida”

    Com financiamento pela Secretaria de Estado da Saúde/CRT – Centro de Referência e Treinamento DST/AIDS, o projeto tem como objetivo reduzir a vulnerabilidade às DST/AIDS/Hepatites virais de profissionais do sexo e população HSH, residentes no município de Registro e região; ampliar a atenção e humanização no atendimento aos trabalhadores do sexo em ações de prevenção, saúde e direitos humanos; promover ações enfocando a sua condição de cidadãos plenos de direitos, a luta contra a homofobia e discriminação; desenvolver ações que proporcionem geração de trabalho e renda, cuidados pessoais e tratamento de beleza para valorização pessoal e aumento da autoestima. Com duração prevista de 24 meses, aguarda liberação dos recursos.



  • Mala Direta Idesc!
    Nome:   Instituição:   Município:   E-mail: 
    © 2017 Idesc. Privacidade & Termos
    Criação e Desenvolvimento: Inside InternetVoltar Topo